SA+
Pesquisa Horus & FGV IBRECesta de Consumo

Preço da cesta básica dispara em quatro capitais e Rio de Janeiro lidera com alta de 6,5%

POR Reportagem SA+ Conteúdo

EM 14/06/2024

Adobe Stock

Foto: Adobe Stock


Em maio deste ano, a cesta de consumo básico teve alta no preço médio em quatro capitais, em relação ao mês anterior. O Rio de Janeiro apresentou o maior acréscimo com uma elevação de 6,5%, seguido por São Paulo com 3,7% e Fortaleza com 2,2%. As cidades também levam os postos de cestas mais caras na mesma ordem. 

 

Por outro lado, Belo Horizonte, Brasília e Manaus tiveram as maiores quedas (-4,5%, -3% e -2,6%). Porém, Brasília não está entre as três cestas mais baratas. Após a capital mineira e do Amazonas, Salvador ocupa a terceira posição da cesta básica mais barata.

Para efeito de comparação, o preço da cesta de Belo Horizonte (R$ 639,97) é quase a metade da do Rio de Janeiro (R$ 1.031,39).

Os dados pertencem ao relatório de Cesta de Consumo da Horus & FGV IBRE, e analisa oito capitais brasileiras. 

 

Dentre os alimentos que compõem essa cesta, os legumes, manteiga, leite UHT, café em pó e farinha de mandioca registraram alta nos preços em sete das oito capitais abrangidas pela pesquisa. O frango, margarina, açúcar, fubá e massas alimentícias secas, também apresentaram alta na maior parte das capitais. 

 

Esse aumento nos preços de alguns dos alimentos foram impulsionados pelo fim da safra e recentes variações climáticas, como é o caso dos legumes e café. Segundo o relatório, houve também uma queda sistemática na produção de leite no Brasil. Sendo assim, o preço para o consumidor tem sido onerado, refletindo, consequentemente, em toda a cadeia de derivados.

 

Por outro lado, o feijão, ovos, carne bovina, óleo e frutas apresentaram queda nos preços na maior parte ou metade das capitais. 

No acumulado de seis meses até maio, a maior variação de preço na cesta de consumo básico foi em São Paulo, com 15,1%. Logo depois está Fortaleza com 12,5% e Salvador com 12,3%. 

Cesta de consumo ampliada

 

Ao considerar a cesta de consumo ampliada, que inclui também bebidas e produtos de higiene e limpeza, houve aumento de preço médio na maior parte das capitais.


Assim como no caso da cesta básica, a capital carioca leva o posto de cesta mais cara com valor médio de R$ 2.282,90 – uma variação de 7,6% em relação com abril. Já Manaus apresenta a maior queda com um valor médio de R$1507,71, e queda na variação de 3,2% no mesmo comparativo.

 

Dentre os itens dessa cesta, apenas o azeite apresentou aumento nos preços em todas as capitais. Contudo, o chocolate, massas instantâneas, verduras, achocolatado, batata congelada, suco pronto, cerveja, vinho e amaciante de roupas também apresentaram elevação na maior parte das cidades.

COMPARTILHAR
TAGS:Pesquisa, Horus & FGV IBRE,Cesta de Consumo
COMPARTILHAR:

Ícone Notícias relacionadas

Inflação e cesta básico em supermercadoInflação

Manaus e Curitiba são as capitais com maior alta da cesta básica

Adobe Stock - AtacarejoPesquisa

Atacarejos apresentam alta de 13% nas vendas em valor

Adobe StockPesquisa

Vendas nos supermercados e hipermercados têm queda de 1,2% no 1º semestre

Mulher checkout adobe stockPesquisa

Varejistas que usam cashback conseguem obter um gasto por shopper 85% maior

Comentários

Ícone Envie seu comentário

Ícone Siga-nos

Logo SACONTATO@SAMAISVAREJO.COM.BR
instagramfacebook4linkedin
Logo Cinva

© Somos uma marca do CINVA (CENTRO DE INTELIGENCIA E NEGOCIOS DO VAREJO - CINVA LTDA). © 2023 SA+ Ecossistema de Varejo. Todos os direitos Reservados